Home>Saúde e Vida>SER OPERADO AO NARIZ
Saúde e Vida

SER OPERADO AO NARIZ

Carla Guimarães Cardoso

É relativamente frequente o doente ser confrontado com a necessidade de uma cirurgia nasal em adulto e ficar surpreso porque, segundo ele já tinha sido operado ao nariz em criança. Ser operado ao nariz em criança quer, na grande maioria das vezes dizer que se foi submetido a uma adenoidectomia. As adenoides localizam-se não no nariz mas na rinofaringe (região logo a seguir à cavidade nasal). O procedimento mais usual consiste na sua remoção, através da boca com um instrumento cortante. Em casos mais raros pode ter sido feita uma turbinoplastia, isto é uma redução do tamanho dos cornetos inferiores.

Dentro do mundo da cirurgia nasal temos:

– a septoplastia, onde é efectuada a correcção do septo nasal. É uma cirurgia funcional, de baixa complexidade com um pós operatório em regra simples e rápido.

– a rinoplastia, onde é efectuada uma correcção da pirâmide nasal. É uma cirurgia de maior complexidade que pode ter um objectivo puramente estético ou ter também uma implicação funcional. A rinoplastia pode ser feita em associação com a septoplastia, rinoseptoplastia.

– a turbinoplastia. Como referido anteriormente visa diminuir o tamanho dos cornetos inferiores. Pode ser feita isoladamente ou em associação com a septoplastia ou a rinoseptoplastia.

– a cirurgia endoscópica endonasal funcional. Este termo compreende uma série de procedimentos que visam os seios perinasais (seio maxilar, frontal, esfenoidal e células etmoidais) e a cavidade nasal. O procedimento é efectuado através de um endoscópio e usa a narina como ponto de entrada não só para o endoscópio mas também para todo o instrumental cirúrgico. A cirurgia pode envolver todos os seios perinasais ou qualquer combinação deles. É o procedimento de eleição para o tratamento da sinusite crónica.

Todas estas cirurgias podem ser realizadas em combinação dependendo da patologia do doente.

Existem muitos outros procedimentos nasosinusais mas que ou caíram em desuso com o advento do endoscópico, como as abordagens dos seios perinasais por via externa, ou que só têm indicação em situações muito raras.

Para uma medicina de melhor qualidade são também necessários doentes mais informados e mais educados para a saúde. Saber os seus antecedentes cirúrgicos é fundamental para a elaboração de uma boa história clínica e é esta que está na base de um bom diagnóstico. É preciso saber mais do que “eu já fui operado ao nariz.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.