Home>Saúde e Vida>ANTIOXIDANTES: PORQUE SÃO IMPORTANTES PARA A PELE?
Saúde e Vida

ANTIOXIDANTES: PORQUE SÃO IMPORTANTES PARA A PELE?

Paulo Morais

Tal como existem dietas e sumos detox, ou desintoxicantes, para “limpar” substâncias prejudiciais ao organismo e eliminar os quilos a mais, a indústria dos cosméticos e dos cuidados de beleza passou a adotar este conceito nos seus produtos e criou um segmento que visa remover as impurezas e toxinas que prejudicam a saúde e a aparência da pele e do cabelo, melhorando a sua textura e aspeto – os chamados cosméticos detox ou com ação antioxidante. Outra função destes produtos é a de impedir a produção de radicais livres em excesso, responsáveis, em grande parte, pela diminuição do colagénio e das fibras elásticas e, por isso, previnem e tratam o envelhecimento cutâneo. No fundo, comprometem-se em proteger, estimular, revitalizar, purificar e regenerar a pele, muitas vezes utilizando ingredientes e substâncias ativas de origem natural ou vegan. Enquadram-se numa abordagem holística da saúde e bem-estar, aliando alimentação saudável e atividade física aos cuidados com a pele.

Em que situações pode fazer sentido usar estes produtos?

O uso destes cosméticos faz todo o sentido em pessoas com um estilo de vida citadino e sujeitas a fatores externos promotores de stress oxidativo devido a radicais livres em excesso, como a exposição solar, poluição, tabaco, consumo de álcool, maus hábitos alimentares (incluindo a ingestão de alimentos com resíduos de pesticidas ou aditivos químicos) e exercício físico excessivo. Durante e após o verão são um grande contributo para anular o efeito destes “vilões” do processo de envelhecimento, embora estes cuidados devam ser mantidos todo o ano. Como complemento ao sistema antioxidante interno e ao estilo de vida e dieta saudáveis, a utilização de produtos detox incorporando substâncias ativas antioxidantes é um gesto essencial no combate à formação e atividade dos radicais livres e ao dano oxidativo ao nível da pele.

Quando iniciar o seu uso e que sinais dá a pele de que precisa de ser “desintoxicada”?

Não há restrições para o uso deste tipo de cosméticos e, numa perspetiva de prevenção do envelhecimento cutâneo, podem até ser iniciados a partir dos 25-30 anos de idade, em qualquer fototipo de pele, pois é nessa idade que começamos a perder as primeiras fibras de colagénio e elastina, que o antioxidante de uso diário consegue prevenir. Além dos sinais de fotoenvelhecimento cutâneo precoce (rídulas, rugas, flacidez e manchas na pele), a perda de tonicidade, elasticidade e luminosidade e a presença de uma pele apagada e de aspeto cansado em pessoas expostas aos agressores ambientais supracitados são indicadores de que a introdução deste tipo de cosmético na rotina de cuidados diários com a pele pode ser benéfica.

Este tipo de cosméticos pode ser aplicado em qualquer tipo de pele?

Desde que se adequem os produtos ao tipo de pele, ao grau de reatividade da mesma e eventual patologia de base, os produtos desintoxicantes podem ser usados por todos os tipos de pele. Deve-se atentar sempre no veículo utilizado: para peles secas, os cremes são ideais; já para peles mais oleosas, texturas leves, como os géis e séruns, são mais indicadas. Por outro lado, sabemos que alguns ingredientes podem ser pior tolerados na pele sensível e reativa, devendo, neste caso, optar-se por outras substâncias ativas.

Como deve ser incluído na rotina de beleza um cosmético com efeito antioxidante?

Os cosméticos detox podem ser produtos de higiene cutânea (ex.: sabonete, gel e leite de limpeza), champôs, cremes diurnos e noturnos, loções para o corpo, tónicos, máscaras ou séruns.

Devem ser incluídos na rotina de cuidados diários com a pele, idealmente por indicação e com a orientação de um dermatologista. No geral, a indicação é que sejam aplicados diariamente: de manhã, antes do protetor solar e como complemento deste, e à noite, após a limpeza de pele. Dependendo do tipo e particularidades da pele a ser tratada e das rotinas e preferências do doente, escolhemos a combinação de ativos e o veículo mais adequados, de forma a alcançar os resultados esperados e evitar reações adversas.

O uso de cosméticos desintoxicantes não é exclusivo do rosto, existindo produtos deste segmento para o corpo e cabelo. No caso dos produtos capilares, estes removem resíduos e impurezas acumuladas nos cabelos, e que não são removidas pelas lavagens diárias, e podem ajudar a diminuir problemas como a caspa e a oleosidade. Às vezes, os produtos são aliados a massagens corporais que ajudam a eliminar as toxinas da pele, melhoram a circulação, a retenção de líquidos e varizes, e combatem a celulite e a gordura localizada.

Para que seja uma compra segura e eficaz, o que se deve procurar num cosmético desintoxicante?

Para que a compra seja segura e se obtenha o maior benefício e eficácia do cosmético, o ideal é que se aconselhe com um dermatologista, que analisará a sua pele e avaliará as suas necessidades e aquilo que pode ser contraproducente. Os cosméticos desintoxicantes podem incluir nas suas fórmulas princípios ativos, tais como: vitaminas C e E, ácido ferúlico, resveratrol, licopeno, niacinamida, ácido retinóico e retinol (derivados da vitamina A), ácido lipóico, picnogenol, ácido elágico, extrato de chá verde, entre outros fortes antioxidantes, de forma isolada ou em conjunto. De facto, combinar mais de um ativo antioxidante na mesma fórmula garante ainda mais eficácia ao cosmético ao atuarem sinergicamente.

Ter ainda em atenção que alguns antioxidantes são altamente voláteis como, por exemplo, a vitamina C. Isso acontece porque ela oxida muito rapidamente, quando em contato com o ar. Para contornar este problema, ela pode ser associada a ativos mais estáveis, pode recorrer-se à nanotecnologia (o princípio ativo encontra-se protegido dentro de pequenas partículas capazes de penetrar nas camadas mais profundas da pele) ou pode ser comercializada em embalagens com formatos que diminuem o contato do produto com o ar (ex.: frascos com válvula pump ou as versões em cápsulas, para uso tópico). Além disso, não deixar o produto exposto à luz solar é fundamental.

Em conclusão, os cosméticos antioxidantes, desintoxicantes ou detox são uma tendência, oferecem uma infinidade de vantagens e podem (e devem) fazer parte de uma rotina de cuidados com a pele. No fundo, a melhor estratégia contra a ação dos radicais livres é a adoção de um estilo de vida que inclua cuidados corporais, associados à prática regular de exercício físico, bons hábitos de sono, redução do stress, exposição controlada aos raios UV e poluentes e uma alimentação rica em antioxidantes (alimentos de cor alaranjada como manga, damasco, cenoura e pêssego, cereais integrais, leguminosas e oleaginosas, aveia, frutos vermelhos, citrinos, peixes como salmão, atum, sardinha e arenque, linhaça, chia, tomate, chá verde, azeite e açafrão).


Dermatologista no Trofa Saúde Hospital em Alfena, Hospital da Luz Clínica de Amarante, Ponte Saúde (Amarante), Fisioskin (Porto) e Excelis Saúde (Lamego).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.