Home>Saúde e Vida>MOSCAS VOLANTES – O QUE SÃO? E O QUE FAZER?
Saúde e Vida

MOSCAS VOLANTES – O QUE SÃO? E O QUE FAZER?

Ivo Filipe Gama

Vem do latim “ MUSCAE VOLITANTES”. Também chamadas MIODESOPSIAS, que vem do grego MYÕDES (semelhante a moscas) e ÓPSIS (visão).

As moscas volantes aparecem como manchas escuras que acompanham os movimentos oculares ou que se movem quando se tenta olhar para estas manchas e que se assemelham a filamentos ou pontos escuros ou círculos ou teias ou “nuvens”, que aparecem no campo de visão, especialmente quando se incide o olhar sobre um fundo branco liso e branco , como uma folha de papel ou com bastante claridade, como um céu azul.  Apesar de serem irritantes e desconfortáveis logo desde o seu início, pode ocorrer uma adaptação progressiva a estas “moscas” com o tempo, tornando-se mais suportáveis.

As moscas volantes nos olhos geralmente surgem com o envelhecimento, devido a alterações na “gelatina” transparente que preenche todo o interior da cavidade posterior do globo ocular, o vítreo.  O vítreo consiste em 99% de água e 1% de outros constituintes, como fibras de colagénio, ácido hialurónico e proteoglicanos. O gel vítreo está em contacto com toda a superfície da retina, ou seja, o “revestimento” interno das paredes da cavidade posterior do globo ocular, que são constituídas por células nervosas responsáveis pela visão. Dentro das alterações que ocorrem no vítreo com a idade, ocorre uma degenerescência fibrilhar do vítreo com alterações das macromoléculas constituintes deste gel provocando uma liquefação e contração do mesmo, causando uma separação progressiva do gel vítreo da parte interna da retina na região posterior – descolamento posterior do vítreo.  As condensações de gel vítreo causam projeções de sombra na retina, provocando as opacidades escuras que se manifestam como “moscas volantes” no campo visual. Por vezes, no processo de separação do gel vítreo da retina, podem ocorrer trações sobre a retina, que podem causar rasgaduras da retina, as quais, se não forem detetadas e tratadas precocemente com laser, podem levar a descolamento da retina, que pode provocar cegueira se não for detetado e tratado cirurgicamente de forma precoce (vitrectomia).

As moscas volantes podem interferir com a visão, nomeadamente com a leitura, dependendo da sua localização, nomeadamente se forem centrais, mas também do tamanho e número destas opacidades.

Ocorrem geralmente após os 50 anos de idade, ou mais precocemente nas pessoas com miopia. Também podem ocorrer em jovens. O descolamento posterior do vítreo é mais comum na miopia, após cirurgia de catarata, após tratamento com laser YAG para melhoria da visão após cirurgia de catarata, após inflamação ocular (uveíte posterior), após traumatismo ocular.

Como conselhos, não se deve perseguir as opacidades com o olhar, deve evitar-se olhar para superfícies lisas e claras, deve ter-se paciência, pois com o tempo ocorre habituação progressiva. Como as moscas podem ser graves se acompanhadas de rasgaduras da retina ou zonas de fragilidade da retina que podem causar estas rasgaduras, é fundamental procurar-se um médico especialista em Oftalmologia para avaliação do fundo ocular (fundoscopia) sob o efeito de colírios que causam dilatação pupilar. Assim, o objetivo desta consulta é o rastreio, a deteção precoce de eventuais alterações na retina que poderão predispor a descolamento da retina, de forma a serem tratadas com laser na altura certa, de forma a diminuir-se o risco de descolamento de retina e perda visual.  É importante que nesta consulta, o doente vá acompanhado pois a visão irá ficar temporariamente afetada nas horas seguintes à consulta, devido à dilatação pupilar farmacológica, sendo que posteriormente volta ao habitual.   Quando a avaliação da retina é normal, não se faz, geralmente, nenhum tratamento adicional para as moscas volantes ou miodesópsias, apesar de incómodas, pois com o tempo (meses) estes sintomas costumam atenuar, pois ocorre adaptação progressiva e estas opacidades vítreas, apesar de não desapareceram, podem tornar-se menos centrais e, assim, menos percetíveis. Só em casos extremos, muito raros, em que as miodesópsias são muito grandes e numerosas causado uma visão muito baixa e incapacitante, é que poderá ser realizada cirurgia – vitrectomia, mas esta geralmente está reservada aos casos em que ocorre descolamento da retina.  O médico nestas situações recomenda repouso nas semanas seguintes e informa o doente quais são os sintomas de alarme que devem levar o doente a procurar, de forma urgente, uma reavaliação médica oftalmológica. Estes sintomas incluem o aumento do tamanho e do número das opacidades, ou alterações do campo visual, ou diminuição abrupta da acuidade visual ou então, o aparecimento de flashes luminosos – fotópsias. As fotopsias são causadas pelo estímulo mecânico da retina associada a fenómenos de tração vítreoretiniana, ou seja, quando o vítreo degenerado traciona a retina.

Assim, apesar de as miodesópsias construírem, muitas vezes, uma situação inofensiva para a visão, as pessoas com moscas volantes não deve negligenciar este sintoma e devem ser imediatamente referenciadas para avaliação por um médico Oftalmologista, pois em cerca de 15% dos casos estão associadas a lesões da retina que predispõe a descolamento de retina, as quais devem ser tratadas o mais brevemente possível de forma a diminuir o risco de perda visual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.