Home>Lifestyle>CR7 – FENÓMENO EMPRESARIAL E OS OUTROS
Lifestyle

CR7 – FENÓMENO EMPRESARIAL E OS OUTROS

RUI CANOSSA 

Já todos sabemos que Cristiano Ronaldo é um dos maiores jogadores de futebol de sempre. Como tal ganha milhões de euros por ano. Segundo a revista Forbes, encaixou, em 2020, 105 milhões de dólares, cerca de 87 milhões de euros, sendo que cerca de 50 são de salários e o resto de publicidade. Aliás, estima-se que, durante a sua carreira de 17 anos como jogador terá ultrapassado os 1000 milhões de euros.

Mas, CR7 é muito mais do que um jogador de futebol. É um empresário. O número de empresas que apresentam como acionista o nome de Cristiano Ronaldo dos Santos Aveiro é de mais de uma dezena. Os ativos incluem participações em negócios de biotecnologia, turismo, implantes capilares e até produção de cenouras-baby.

A CR7 Lifestyle Unipessoal detém 50% dos hotéis Pestana CR7 de Lisboa e Madeira, em parceria com o grupo de Dionísio Pestana. A CR7 S.A., com um capital social de 16 milhões de euros detém participações de capital em empresas coo a Global Leisure Partners SL, Xcell Medical Solutions SL, Catapult Therapeutics, Insparya Hair Medical Clinic, Fresh SARL, CR7 Footwear e Category challenge, Lda. A estas juntam-se os 70% que detém na Mussara – Gestão de Espaços e Eventos, Lda, onde o irmão detém os outros 30% e que gere o Museu CR7 onde passaram por exemplo nos primeiros seis meses 350 mil pessoas.

Depois, é claro, com estes rendimentos, todos nós sabemos dos gostos requintados do craque. Só para referência, o exclusivíssimo Bugatti Centodieci terá custado 8 milhões de euros. Pelas minhas contas já é o terceiro Bugatti na garagem do GOAT (Greatest Of All Time). Também o apartamento mais caro de Portugal é propriedade de Ronaldo. O capitão da seleção campeã e vencedora da Liga das Nações terá pago 7,35 milhões de euros pela penthouse em Lisboa.

Quero acabar este artigo fazendo um alerta para os mais jovens. Estatisticamente, é muito baixa a probabilidade de se chegar a este patamar, Ronaldo é a versão portuguesa do American Dream. Na maioria dos casos o sonho de ser o próximo Ronaldo fica muito aquém do esperado. Se derem um salto à página do Tarantini, que nasceu em Baião e jogou oito anos nas camadas jovens do Amarante FC, podem constatar que 2 em cada 5 ex jogadores de futebol na Premier League apresentam sérias dificuldades financeiras num máximo de 5 anos após a retirada e que 1 em cada 3 divorciam-se nos primeiros 12 meses depois de pendurarem as chuteiras. Em Portugal, apenas 16% dos jogadores portugueses conseguem chegar à primeira liga, sendo que 95% não chegam a um grande. E assim, ganham cerca de 4 a 10 mil euros mensais durante uma média de 4,7 anos! Por isso, continuem sempre a estudar, para quando acabar o sonho de meninos, poderem ter uma segunda vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.