Cidadania e Sociedade

AS CICATRIZES DA «INCÚRIA» E IRRESPONSABILIDADE DO ESTADO

"Se isto voltar a acontecer é sinal que não aprendemos nada com isto". "É uma ferida que vai ficar aberta durante muitos anos, não só para mim, mas para os meus colegas". "Basta! isto não pode voltar a acontecer". Rui Rosinha - Bombeiro O testemunho do bombeiro Rui Rosinha, no passado dia 16 de dezembro, num especial informação na SIC /Notícias, (que conta a história de 10 das 120 vítimas
Cidadania e Sociedade

O PRESENTE DE NATAL: O PASSADO E O FUTURO

Natal. Não gosto de ti porque todos falam de ti. Quando todos falam do mesmo, alguém vê uma oportunidade de negócio e vende o produto. Esvazia-se o sentido para tornar a coisa mais leve e envolve-se em papel lustroso. Ninguém gosta de coisas pesadas, com demasiado conteúdo, são aborrecidas e não têm uma função imediata. Vai que alguém compra. Sucesso! E vai que alguém compra outro, 2, 3, 4, para
Cidadania e Sociedade

FAZER PARTE DE UMA ORGANIZAÇÃO SOCIAL É… AMAR!

Em virtude dos factos recentes acontecidos com uma importante organização social em Portugal, gostava de dedicar algumas palavras ao tema. Hoje, a fazer uma pesquisa (como faço frequentemente) de projetos de organizações sociais, percebi algumas coisas que estão implícitas ao nosso trabalho, mas que não são ditas. Uma delas é o AMOR com que trabalhamos por aquilo que acreditamos. Na verdade, depois de procurar igualmente em bancos de imagens pela
Cidadania e Sociedade

DEIXEMOS ENTRAR A MAGIA

Pululam casos sensacionalistas, felizmente, com tendência para a descoberta da verdade. No futebol, em vez do jogo jogado, rola a “bola” dos e-mails, em turbilhão, com inúmeros gigabytes, a revelar uma sucessão de escândalos e a fazer movimentar a Unidade Nacional de Combate à Corrupção, da Polícia Judiciária, a exigir trabalho extra. Dois comandantes de bombeiros a serem constituídos arguidos, no caso dos fatídicos incêndios de Pedrógão Grande, indiciados de
Cidadania e Sociedade

E ENTÃO É NATAL

Foram-se os dias quentes e secos. As folhas das árvores, já coloriram nos tons outonais e formaram autênticos tapetes multicores pelos jardins e passeios da cidade, também o seu aroma adocicado nos transportou ao longo dos tempos. Nos trouxe saudades imemoráveis. Chegou o tempo de se renovar o guarda-roupa: peças mais quentes são imprescindíveis… e os guarda-chuvas são impossíveis de esquecer! Ouve-se o uivar do vento na copa das árvores
Cidadania e Sociedade

QUASE, QUASE O NATAL

Sou fã incondicional do NATAL!!! Gosto do Natal... gosto do cheirinho ao Natal... gosto do barulho do Natal... gosto das luzes de Natal... Gosto do Natal, ponto. Digam (e com verdade, talvez) que poderá ser um tempo de consumismo, de superficialidade... digam, e eu até posso concordar com algumas coisas, mas continuo a gostar do Natal. Gosto do Natal e até das rabanadas e filhós aprendi a gostar :-) No
Cidadania e Sociedade

O MEU NATAL!

O meu Natal não tem idade. Nele cabe, feliz, a infância que tive, rural, transparente e pura, como os regatos cristalinos onde se bebia a liberdade. Ou as ânsias de trepar às árvores à cata dos ninhos. Como cabe o pai de família que hoje se preocupa com as dores do mundo e o futuro dos seus filhos e da sua mais que tudo. No meu Natal tem lugar cativo