Cultura, Literatura e Filosofia

SORTILÉGIO ALQUÍMICO

Regina Sardoeira A noite tem um movimento próprio, mesmo quando nada se mexe, e chama-nos a todos para um deserto líquido  onde flutuam embarcações, serenos mensageiros de outros territórios onde a luz esculpiu  memórias e mitos. Eu sei (sempre soube) que a verdade não tinha qualquer poder, essa verdade que os corvos levantam na poeira dos trigais, se poeira houvesse, e, enquanto escutávamos a voz irremediável de qualquer ente desabrido nas esferas de
Cultura, Literatura e Filosofia

A NECESSIDADE DE DAR VOZ À INTELIGÊNCIA

Regina Sardoeira A inteligência é "a resposta criativa ao agora". Li esta definição num livro que acabei de ler, de Osho, guru indiano, intitulado "Inteligência" e que é a transcrição das inúmeras conferências e palestras que ele foi fazendo ao longo da vida. Reflecti sobre a especificidade desta definição de inteligência. Percebi que confundimos, demasiadas vezes, a inteligência com o conhecimento e ainda que o conhecimento resulta de uma acumulação
Cultura, Literatura e Filosofia

LANÇAMENTO DO LIVRO «ALMA TUA»

Dia 23 de Novembro, às 16 horas, na Casa da Cultura de Paredes, será a apresentação do livro "Alma Tua". Este livro é o resultado dum projeto com os meus textos (conto e poesia) e as fotografias do Norberto Valério, chancelado pela Guerra & Paz Editores. Ao longo de sensivelmente 10 anos, percorremos a região do vale do Tua, um rio e uma linha ferroviária centenária cujo traçado mais emblemático está agora submerso.
Cultura, Literatura e Filosofia

COMO VAI O TEMPO?

Jorge Nuno Poderia pensar-se numa cena no elevador do prédio, a arranjar-se uns breves segundos de conversa com dois vizinhos, para retirar o desconforto de estar calado. Mas não, não é obrigatório falar-se de tempo. Ou talvez sim, se já houver alguma proximidade e comungar-se do mesmo fervor clubístico. Aí já se pode entrar a matar: —  Ouviste a notícia de hoje? Como é possível a primeira liga portuguesa de futebol
Cultura, Literatura e Filosofia

SER OU NÃO SER PATRIOTA

Regina Sardoeira Não sou patriota: eis o que, de mim, descobri, há algum tempo. Para poder sê-lo teria que confinar-me a uma realidade a que chamam pátria, amar esse território acima de qualquer outro, admitir defendê-lo, morrer por ele, no limite, elevar até aos cumes possíveis os seus símbolos. Ora não me fascina, em absoluto, a bandeira nacional, o hino nacional parece-me uma canção despropositada, o presidente da República é
Cultura, Literatura e Filosofia

DO HALLOWEEN AO DIA DE FINADOS – VERDADES OU MITOS?

Ricardo Pinto Esta noite, as bruxas sairão às ruas DR O dia das bruxas é festejado na noite de hoje, dia 31 de outubro. A comemoração do Halloween, como é vulgarmente conhecido teve origem nos antigos povos da Grã-Bretanha e Irlanda, que acreditavam que na véspera do Dia de Todos os Santos – 1 de novembro, os espíritos voltavam para suas casas. A festa em honra de Todos os Santos,
Cultura, Literatura e Filosofia

O MITO E A REALIDADE

Regina Sardoeira O homem, ao longo dos tempos, foi criando mitos. Mais tarde, no advento da racionalidade, foi-os desmitificando, porque encontrou provas, empíricas ou científicas, para os perceber ao nível da razão. Na minha viagem literária a Vila Viçosa, na zona de Penela, auto-estrada A13, tive a visão de três pirâmides, duas do lado esquerdo, uma do lado direito, pirâmides da cor do tijolo, como era, aí, também, a cor
Cultura, Literatura e Filosofia

O NAZISMO E O COMUNISMO EM PÉ DE IGUALDADE TAMBÉM NO ENSINO

Moreira da Silva O comunismo e as horrorosas crueldades que foram cometidas em seu nome, só agora é que começam a ser desvendadas, após as investigações que foram feitas ao longo dos últimos anos, principalmente após a queda do Muro de Berlim e o emergir de novos países a leste da Europa. Foram os povos destes novos países, e de outros países comunistas espalhados por todo o mundo, que sofreram
Cultura, Literatura e Filosofia

VIVER EM LIBERDADE CONDICIONAL

Isabel Pinto da Costa O meu artigo desta semana é, nada mais, nada menos, que uma metáfora à vida, ou seja, quem não vive em liberdade condicional, nos dias de hoje, é uma pessoa como diz o ditado popular “um felizardo”!... Passo a explicar: Vivemos em liberdade condicional em relação a muitas coisas na nossa vida, senão vejamos: cada vez menos os estudantes quando terminam o curso vão trabalhar na