Cultura, Literatura e Filosofia

BIRD MAGAZINE: PÁSSAROS DE LIBERDADE

Anabela Borges Temos a vida preenchida de espaços. E, a espaços, pensamos nisso: reflectimos acerca dos espaços que nos preenchem a vida. O tempo é esse ser que nos abarca (abraçando) a todos com os seus imensos braços, fazendo-nos prisioneiros de uma era, permitindo um tempo próprio a cada um, feito de passado e presente, que é um flash de futuro (ontem-agora-já). Relembro o saudoso astrofísico Stephen Hawking, pois tantas
Cultura, Literatura e Filosofia

PALAVRAS DE HOMEM

Regina Sardoeira “O único problema do nosso tempo é saber como se hão-de guindar as massas à vida e à cultura. Mais nada. A ciência tem pés, e anda por si. A arte vai de vento em popa no seu caminho, já glorioso de resto. Mas há uma grande parte da humanidade que nem sequer sabe andar ainda. E não há dúvida que é preciso ensiná-la a saber. Como? É
Cultura, Literatura e Filosofia

SER SIMPLES É SÁBIO

Cidália Pinto As nuvens correm, o vento zanga-se, com a falta de atenção delas, e sopra rude. E desequilibra a perfeição do céu azul, com o sol perfeito e a nuvem de algodão,  impecavelmente branca, deixa de o ser. O céu rasga-se em cinzas e o azul é menos azul, e a perfeição do algodão desfaz-se em farrapos de um branco sujo. E o sol é  enfrentado por  um cinza-mor
Cultura, Literatura e Filosofia

RECEBE-O, É TUDO O QUE TENHO

Obrigo-me a desligar o rádio, o silêncio súbito orvalha a noite e ascende à abóbada escura que encima o horizonte. Quanto mais o circense barulho me veste no dia, mais a noite se acomete ao meu regaço, passando-me a mão pelo ombro e convidando-me a erguer o meu zénite. A estrada e seus afluentes, os quais rapidamente perscruto enquanto conduzo, descoloriram-me a íris. Por entre um outro minuto, uma saca
Cultura, Literatura e Filosofia

A ALDEIA QUE HABITA EM MIM- SOLDO DÉCIMO NONO

Efémero nutrido não, perante musculadas paredes que o recolher ao silêncio permitem, já em fonte, em abertura, cavada pedra, ali nomeado. Não sem antes por portão primeiro passarmos, antelóquio das tonalidades que a flora imprime em sentidos nossos, agora sim, olhando o que sobre nós se apresenta. O brasão de família do Poeta que Saudade imprimiu à existência. Não nos deixemos dissuadir pela beleza que impera na estrutura, encimada por
Cultura, Literatura e Filosofia

AMOR À PRIMEIRA VISTA

Apaixonei-me desde o primeiro dia em que a conheci. Ironia do destino, aquela que me apanhou na curva da vereda, trocando-me as voltas, logo a mim, que nunca acreditei em amores à primeira vista. Mas o cheiro inebriante depressa se transformou numa seiva quente que me percorreu as veias, acelerou-me o coração e fez-me viajar num mundo de príncipes e princesas encantadas, percorrendo os céus montando coloridos e alados unicórnios.
Cultura, Literatura e Filosofia

O SR. TOBIAS, ECOS DE MENTES E OUTRAS HISTÓRIAS (passagem)

(...) - Este papel tem uma letra diferente... - Uma das minha tantas... Bebi. Voltei a beber. Mais e ainda mais. Tanto! Olhei para o meu braço. Afinal ainda não tinha bebido o suficiente. Porque no fim do meu braço ainda não via a tua mão a segurar na minha, Joaninha. É assim que te encontro e ficas comigo novamente. Ainda não tinhas percebido? - Como é que consegue escrever
Cultura, Literatura e Filosofia

O OUTRO NATAL

É eventualmente forçoso falar do Natal, quando a data se aproxima e, por todo o lado, uma evocação gritante atordoa todos os ouvidos. E não são somente os ouvidos  que sofrem este atordoamento que refiro. Os olhos, sim, também eles não conseguem escapar ao delírio e, afinal, todos os sentidos,  já que a multidão se atropela, e então há toques, e os ares rescendem,  e assim há cheiros. Tudo poderia,
Cultura, Literatura e Filosofia

A MINHA ESTRADA

Trinados de pássaros soprados nas flautas indígenas do Equador, saem do leitor de CD do meu carro e enchem-no de uma doce harmonia que me embala e me faz sonhar, proporcionando-me a calmaria de que necessito para empreender a viagem que tenho pela frente. Ao longe, no horizonte, recortam-se montanhas altaneiras que erguem os seus cumes agrestes em direção às alturas, em gloriosa ascensão. As nuvens esbranquiçadas, surgindo dispersas por
Cultura, Literatura e Filosofia

GENTE FECUNDA, COM OU SEM FILHOS

Chama-se a este 3º Domingo do Advento, o Domingo da Alegria ou Domingo Gaudete. E é esse também um dos temas dominantes da Liturgia da Palavra de hoje. É, aliás, tema recorrente nas Exortações Apostólicas do Papa Francisco: “A alegria do Evangelho”, “A alegria do Amor” e “Alegrai-vos e Exultai”, esta última sobre a vocação à santidade no mundo atual. E porque nos alegramos ainda porque nesta Eucaristia(1) várias mulheres grávidas